sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Experiencia de uma perfuração duodeal

Hoje venho falar de algo que se passou com o meu marido em Novembro, uma perfuração no duodeno. Venho falar sobre isto porque, durante os 7 dias em que ele esteve internado, eu passei todo o tempo em que não estava no hospital à procura de informação vivida na primeira pessoa e não encontrei absolutamente nada.
Diz-se muito coisa sobre este assunto, mas o pior que me diziam é que cada caso é um caso e não se sabe se vai ficar internado 1 semana ou 1 mês, tal como me disseram que ele nunca mais iria ter uma vida ''normal''. Mas como podiam afirmar com tanta certeza se ele só tem 37 anos??? No final não foi nada disso.
Mas começando do inicio da nossa experiência.
Ele saiu para comprar tabaco e estava no ultimo dia de ferias, passado 2 minutos liga-me para o ir buscar mais à frente de casa que não aguentava de dores na barriga e no estomago. Fui busca-lo e quando chegamos a casa ele foi para a banheira por agua quente a ver se passava, não passava nem na banheira, nem deitado, nem de pé. Chamamos a ambulância e ele foi sozinho pois eu tive que ficar em casa com os miúdos e com a senhora que tomo conta.
Ele diz-me que chegou ao hospital (17:15h) e passado 1 hora liga-me uma medica a dizer que ele tem que ser operado de urgência pois tem o intestino perfurado mas não sabem onde. Eu antes de começar a chorar só lhe disse, Drª por favor salve-mo pois eu tenho uma doença terminal e nos temos 2 bebes e se ele for os meus filhos ficam sem ninguém, ate a medica chorou e só me disse para não me preocupar que o iam tratar muito bem (e verdade seja dita que foram simplesmente maravilhosos).
Depois de desligar entro em histerismo e pedi a minha tia para vir ter comigo para ficar com os miúdos, o problema e que eu moro em Aveiro e ela no Porto. Ela veio e o meu tio levou-me ao hospital, eu cheguei ao hospital era 19:25, já ele estava a ser operado (vim a saber mais tarde que mais meia hora e ele dificilmente tinha sobrevivido)
Ele sai do recombro por volta das 22:30 e vai para o ucci.
Passando a frente e para ser mais resumido.
Causa da perfuração??? TABACO, TABACO E TABACO!!!
No dia em que ele vem para casa perguntei ao medico o que ele não podia comer, resposta: CIGARROS!!!
Ouvi muitos a dizer que nunca mais podia comer isto ou aquilo e honestamente, no caso dele, é mentira, isto porque passaram-se 6 semanas e ele já come praticamente tudo (menos picante). Café daqui a mais 1 mês pode beber, mas não aos 10 cafés por dia como antes. E acima de tudo, tabaco nunca mais.
Foi 6 semanas de baixa e agora à que começar com calma mas eu sei que vai correr bem :D

Eu tinha uma péssima impressão do Hospital de Aveiro mas admito, todos, mas mesmo todos foram simplesmente maravilhosos. A equipa C foi maravilhosa, médicos muitíssimo preocupados com os seus doentes, muito humildes, sempre dispostos a falar e a esclarecer todas as duvidas. Enfermeiras muito simpáticas e a fazerem muitas vezes o que humanamente é praticamente impossível com tão poucos meios humanos (elas bem precisavam de mais gente, mas isso não se pode senão os nossos enfermeiros não podem ir para foram onde são tão precisos (sádica)).
Assistentes operacionais sempre prontas a ajudar e também sempre com uma palavra amiga.

Muito obrigado em nome da nossa família a todo os quantos nos trataram com tanto carinho no maior susto das nossas vidas.

P.s. Agora tem uma cicatriz que parece quando se abre um frango para o churrasco  ahahahahah

4 comentários:

  1. Respostas
    1. Ups acho que fiz asneiras...
      Paula desculpa mas nao sei onde esta o teu comentario...

      Eliminar
  2. por favor você poderia dizer em que rede de farmácias achou o shampoo tarmed que usou para caspas? obrigada

    ResponderEliminar
  3. Obrigado Paula.
    Realmente so quem passa por isto e que sabe o desespero que é mas correu tudo bem e isso é o mais importante. As melhoras para o teu marido tambem.
    Beijinhos

    ResponderEliminar